Genética Ovina

Unidades de Negócio:


Coordenador: João Ernani Barboza Duarte
Contato: saocanuto@yahoo.com.br
Fones: (54) 9974 6287, (54) 


Os consumidores da carne produzida pela Aproccima, tem um padrão de exigência maior, e isto se reflete na carne Ovina, onde os cordeiros destinados ao abate devem possuir características de qualidade de carne superiores, da mesma forma que as carcaças devem apresentar maior proporção dos cortes nobres.

Pensando nisso, selecionamos reprodutores e matrizes que transmitam características de carcaça e qualidade de carne superiores aos seus filhos.

Nossos carneiros pais, são selecionados entre outras coisas pela sua qualidade de carcaça, onde são levadas em conta a expectativa de musculosidade, que vai influir na quantidade de carne produzida e a deposição de gordura sobre o músculo, que deve ter um ponto ótimo para melhorar o sabor da carne produzida.

Os fatores de produção como: ganho de peso, precocidade, prolificidade (produção de gêmeos) e conformação carniceira são, junto com as características raciais, base para a seleção dos reprodutores e matrizes.

Atualmente estamos trabalhando com as raças Ile de France,Texel e Poll Dorset ou suas cruzas, para produzir os cordeiros da APROCCIMA
Os reprodutores são vacinados contra clostridiose, brucelose e Footrot e os machos são submetidos a exame andrológico.

Dicas e Informações Técnicas sobre os Carneiros da APROCCIMA

01- A partir de um ano de idade os carneiros estão aptos a reprodução.
02- Carneiros velhos tendem a diminuir sua capacidade reprodutiva. Por este motivo os reprodutores devem se substituídos após 4 anos de uso.
03- O exame andrológico avalia a capacidade reprodutiva e deve ser feito, por veterinário, uma vez por ano.
04- Só usar carneiros com exame andrológico, exames clínicos e sorologia negativa para Brucelose.
05- Excesso de grãos na dieta pode prejudicar a espermatogênese e consequentemente diminuir a capacidade reprodutiva dos machos.
06- Recomenda-se a substituição, anual, de 25 % dos carneiros por borregos.
07- É importante a adaptação dos novos carneiros ao campo e observar o comportamento com os outros machos, pois a disputa por hierarquia pode machucá-los.
08- Quando encarneirados em potreiros grandes, juntar o rebanho diariamente para facilitar o encontro dos carneiros com as ovelhas.
09- Manter os carneiros em potreiros separados, limpos e de fácil acesso, próximo da sede, de forma que possam ser revisados com frequência.
10- Importante cuidar dos carneiros para que não tenham bicheiras nos testículos, problemas nos cascos ou outros traumas que prejudiquem seu desempenho reprodutivo.
11- Uma boa prática é esquilar os carneiros 2 a 3 meses antes do uso. Atenção especial deve ser dada à remoção da lã dos testículos, evitando cortes no momento da tosa.
12- O período ideal de encarneiramento é de 45 a 60 dias. Períodos longos dificultam os cuidados do rebanho no nascimento, os registros e a formação de lotes homogêneos de cordeiros.
13- No encarneiramento de outubro, em que a maior parte das ovelhas apresentam cio durante os primeiros dias, são suficientes 6 semanas.
14- Utilizar a proporção de 3 % de carneiros em relação ao número de ventres.
15- Não utilizar carneiros excessivamente gordos.
16- Somente utilizar carneiros selecionados e melhoradores geneticamente.

 
 
 
 
 
 
Usuário:
Senha:
 
Usuário:
Senha:
 
Incluir em Favoritos